Liberdade e Responsabilidade

O Espírito, criado por Deus simples e ignorante, é “tão apto para o bem quanto para o mal”, Livro dos Espíritos (LE), perg. 12. Assim, o Espírito, é um ser livre para fazer suas escolhas, de acordo com o seu livre arbítrio, que vai se desenvolvendo à medida que adquire consciência de si mesmo (LE, perg 122).

Mas também de acordo com as Leis Divinas ou Morais, o livre arbítrio está vinculado à lei da ação e reação: o bem ou o mal que fizermos refletirão em nós mesmos. E nossa consciência, nos indica a necessidade de reparação quando fugimos da Lei do Amor, e nos incomoda profundamente, o que não justifica sentimentos de culpa porque, sabemos que os erros também nos levam ao acerto. Vigilantes, lembramos o apóstolo Paulo: “Tudo me é lícito, porém nem tudo me convém”.

Liberdade exige sim responsabilidade, disciplina. O Universo todo é regido pela disciplina. Claro que, espíritos em aprendizado e ainda rebeldes, precisamos de tempo para perceber nossas falhas e como saná-las, para desenvolver essa plena liberdade do ser moral. Todavia, como Deus não abandona seus filhos e nos ama, nos dá esse tempo…

Espíritos eternos, participando do processo educativo, temos a benção da reencarnação, do ano novo, do dia seguinte, do minuto seguinte. Refletir e mudar, nos transformar, evoluir. Jesus afirmou “nenhuma ovelha será perdida na casa de meu pai”. Nenhuma! Então, teremos chances infinitas para esse processo de educação e reparação; seremos sim esse espírito de luz.

Para estimular a vencer os nossos próprios desafios como o orgulho, vaidade, egoísmo, intolerância, impaciência, entre outros, o Mestre, quando esteve entre nós, deixou grandes lições procurando tocar nossos sentimentos. Nas muitas parábolas, exemplos e citações mostrou que devemos e podemos fazer as escolhas certas. Deixou claro que o caminho da felicidade que tanto almejamos sempre estará ao nosso alcance, que sua rota é do Amor. Fundamental nosso esforço e empenho quando refletimos sobre seus ensinamentos como nas parábolas: do filho pródigo, dos talentos, do Samaritano, da ovelha perdida; nas maravilhosas Bem Aventuranças; nas citações como o óbolo da viúva, Zaqueu, Maria de Magdala, Maria e Marta, perdoar setenta vezes sete, vós sois deuses, sois o sal da terra…

Em qualquer momento, lugar ou com quem estivermos é sempre hora de exercitar a liberdade com responsabilidade, porque nada nem ninguém estão conosco nesta caminhada por acaso. Não temos mais  dúvida quanto ao sábio ditado “o plantio é livre, porém a colheita é obrigatória”. E é apenas seguindo pelo caminho do amor, da ética e da moral que conquistaremos a felicidade verdadeira.

Quando o aprendizado das leis morais for pleno em nós não mais necessitaremos das Leis Humanas, ainda falhas, porém necessárias, então agiremos permanentemente livres sempre à caminho da luz!

Ilda Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

www.000webhost.com