Jesus governador da Terra

Viajor das Estrelas, eis que o homem,  Governador deste planeta, Fez-se luz, reencarnando num planeta ainda endurecido.

Pela misericórdia, o Criador nos mandou, esse Espírito de tanta grandiosidade para nos auxiliar, seres ainda na escuridão, necessitando abrir os corações para a ternura, para a paz interior e a presença magnânima Desse Irmão permitiu, que cada ser, despertasse dos sentimentos ligados ao ódio, embrutecidos pela necessidade das guerras, do poder.
Jesus veio chegando aos poucos, batendo em cada porta e quando ela se abria, o Divino Nazareno dizia: “Eu sou a luz do mundo,  aquele que quer chegar ao Pai venha a Mim,  pois lhe indicarei o caminho”.
E o caminho  grandioso do amor se ampliou, mostrando aos habitantes deste planeta que, através da paz teremos um dia, o nosso mundo transformado. Mas necessitamos para tanto, primeiramente renovar o nosso mundo interior,  os nossos sentimentos,  as nossas lembranças, as nossas dores pessoais, elas deverão ser iluminadas pelo amor a fim de que possamos trilhar neste caminho Bendito, onde na aurora de nossa vida, dentre tantas existências, teremos a grandiosidade em nosso coração!
O Viajor das Estrelas com seus auxiliares que ainda engatinhavam, mas Ele abrindo Seus braços os recebeu dizendo-lhes: “vós sois deuses, vocês podem o que eu posso e ainda muito mais”
Pedro então olhando para dentro de si, buscou a força da Bondade infinita, procurando com ela clarear as suas tendências, ainda o ser rude, mas que vislumbrou através do amor do Mestre, que Nova Vida havia chegado.
E entre Pedro, João, Mateus…a cada um o Cristo olhou, pois cada um era especial à ele, não se esquecendo daquele que o beijou, sem entender ainda na sua ignorância, que deixaria o gesto que nos lembraria da traição.
Mas o Nazareno o amparou na escuridão, quando naquele ato de desespero ele se entregou ao suicídio, Cristo o seguiu, embalou-o em seus braços, amando-o incondicionalmente,  para nos mostrar que o amor deve ser infinito, sem medidas, sem barreiras, sem  preconceitos, sem julgamentos e ali, na loucura em que Judas se entregou,  o Cristo o amparou a cada momento, dando-lhe a base para que ele não se entregasse, no desespero a que foi assolado.
Retornando o Mestre, nos trouxe a luz da verdadeira vida, sem tumulos cerrados, sem prisões, apenas a liberdade do corpo espiritual, que abandonando o casulo do corpo físico, se entrega àquilo que ele realmente é.
E nós pequeninos seres, que rastejamos na luz do Cristo ainda na nossa indignidade,  pois tanto precisamos crescer, recebemos Desse Irmão  a oportunidade, de através do entendimento das Suas palavras, erguermos a fronte buscando o Alto dizendo: Sê conosco Cristo, nos traga a Sua amorosidade,  nos permita entendermos que podemos, que somos Esse Deus de amor quando amamos, quando olhamos nosso irmão, quando estendemos a mão à criança, quando amparamos o ancião,  quando perdoamos aquele desafeto tão intenso, somos Deuses!

E à este Nazareno, que é a luz do mundo, que nos acompanha a cada passo, à Ele agradecemos infinitamente, pois hoje e sempre a sua luz nos guia, nos reconforta e nos acolhe no amor

Joana

www.000webhost.com