Sobre imortalidade

…com as lentes da imortalidade passamos a ter uma visão mais agigantada da vida e do Universo, buscando
cada vez mais servir, acolher, educar os próprios sentimentos e estudar as leis morais que regem a vida
universal e com esse propósito sempre ascensional, de crescimento diário, certamente nos habilitaremos a
avançar a patamares mais significativos do progresso, enriquecendo-nos intensamente de valores
espirituais… “Alessandro Viana Vieira de Paula”
Refletindo sobre a importância do assunto e questionando como e o que fazer para alimentar a nossa vida
espiritual, respeitando as leis divinas sem tantas dificuldades, creio que a única forma é buscar o amor.
O amor na sua plenitude.
O amor que nos leva à totalidade do nosso ser, que descobre a divindade que habita em nossa alma, que é
imortal, que vem de tempos remotos, que vem de longe, que ultrapassa os mundos dos vivos e dos mortos,
que se nutre do amor que é estável, infinito, absoluto, intenso e sereno.
E por saber da capacidade da imortalidade, da fidelidade do ponteiro da vida, caminhando para a eternidade,
não podemos e nem devemos perder tempo no desamor.
Não podemos adiar a bondade que nos leva a beleza muda do filantropismo, que não nos permite a omissão
da ajuda, que nos tira do inconformismo e que nos transporta para ação do amor.
Do amor que faz a doçura fazer festa em nossas almas, retirando os motivos de nostalgia, de angústia, de
dor, de culpa e de remorso.
Do amor que nos faz sentir alegria pelas vitórias, pelos ganhos, para que possamos alimentar os famintos de
amor com nossas palavras perfumadas pelo aroma da beleza que é o amor de Deus em nós.
Só assim, com o esplendor do amor, exercitando os ensinamentos de Jesus, levando compreensão, ofertando
sorrisos de alegria, repartindo o pão, ancorados no bem querer, nos conduziremos no barco da afeição, onde
habitam todos os corações.
Jesus, que como ninguém, foi um excelente exemplo de amor abnegado, totalmente altruísta, traz para nós a
importância do amor incondicional para vencermos tanto desamor no mundo.
E este amor imortal, não pode vencer o mal pela força e sim semear a imortalidade com uma relação
permanente com Deus e com Jesus.
Sendo assim, devemos nos livrar das paixões imaginárias, dos pensamentos pré-fabricados, das belezas dos
gestos inúteis e dos sonhos que levam ao nada e, com o nosso coração satisfeito, respeitar toda a nossa
intuição, sem condenar a minha, a sua, a nossa imperfeição, impedindo que qualquer sentimento generoso
murche em nossas mãos.
Vamos buscar a nossa imortalidade, sendo plenos de amor, moldando os nossos pensamentos, fazendo de
nossas ações, sempre, motivos de alentos.
Deixemos brilhar a nossa luz, façamos dela o nosso guia, a nossa força. Que toda essa essência divina possa
exteriorizar o amor-Deus que trazemos em nossos corações em busca da nossa imortalidade.

Sandra Lúcia Ceccon Perazzo

www.000webhost.com